sábado, 29 de agosto de 2015

O APARTHEID CONTINUA ! ! !

Todos nos lembramos que durante a gestão do nefasto ex-prefeito Miguel Haddad o Jardim Ana Maria foi fechado pelos seus moradores em uma violência monumental contra a legislação vigente.

As autoridades municipais da época fizeram de conta que não viram.

No atual governo está acontecendo a mesma coisa. Há algum tempo denunciamos aqui a intenção dos moradores do Jardim Brasil em também fecharem o seu bairro, o que se constituiria em mais um atentado violento contra o direito de ir e vir do cidadão jundiaiense.

Agora, de maneira lamentável, o fato está se consumando.

Três ruas que comunicam o bairro à Av. Antonio Segre estão sendo estreitadas e com direção de trânsito apenas de saída, se preparando para, no futuro, colocarem ali uma cancela. A rua Joaquim Pires de Oliveira, em frente ao prédio da construtora GAFISA, foi fechada onde será construída uma praça impedindo a entrada de veículos no bairro. O mesmo vai acontecer na rua João Batista Figueiredo, do outro lado e perto do restaurante Wiener.

Este processo de Apartheid social iniciado no governo Miguel Haddad e em franco andamento na gestão Pedro Bigardi mostra claramente a intenção do establishment político de Jundiaí: Separar os ricos em guetos privilegiados da maioria dos simples pobres e mortais, tudo isso sob o manto da insegurança pública.

Confiram nas fotos abaixo o fechamento em marcha do Jardim Brasil enquanto a prefeitura faz de conta que não vê nada:

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

A MENTIRA ACABOU ! ! !

Por ordem da ANA - Agência Nacional de Águas a captação de água do Rio Atibaia já está reduzida em 30%.

O coordenador do consórcio das bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí, José Cezar Saad, foi bastante claro sobre o assunto: " A vazão do Rio Atibaia onde Jundiaí capta água está em 1/3 da média histórica sendo uma grande queda que preocupa ".

Oras bolas, isso não é nenhuma novidade. A nossa cidade, hoje, é totalmente dependente da captação de água do Rio Atibaia. Isto porque os prefeitos que se sucedem não fazem as obras necessárias para que a cidade durma tranquila neste setor.

O ex-prefeito Miguel Haddad quando indagado sobre o assunto vem com a mesma mentira de sempre dizendo que a cidade tem água para 50 anos. Já o atual prefeito Pedro Bigardi ao invés de se debruçar sobre esta questão para resolvê-la de vez se preocupa apenas com a sua imagem nas fotos das baladas em que ele sai.

Apenas para a informação dos amigos, leiam abaixo uma matéria publicada no jornal O Estado de São Paulo em 3 de outubro de 2011, já divulgada neste blog, mostrando os riscos reais de racionamento de água que rondam o nosso município há algum tempo:

** CLIQUE SOBRE AS IMAGENS PARA AUMENTAREM DE TAMANHO **

terça-feira, 25 de agosto de 2015

FESTA E TRAGÉDIA ! ! !

*** ANTES ***

Cerimônia de inauguração do túnel do bairro da Ponte São João com a presença de membros da homenageada Família Bárbaro.

*** DEPOIS ***

Situação perigosa do túnel do bairro da Ponte São João causando rachaduras nas paredes das residências da região e inundação do leito carroçável. E pensar que o prefeito Bigardi é engenheiro.

Este é o retrato da administração do engenheiro Pedro Bigardi.

Suas obras fazendo água. Sobre este túnel, que foi iniciado pelo ex-prefeito Miguel Haddad, a situação é grave. Mesmo a obra não sendo sua, o atual prefeito Bigardi deveria ter interpelado judicialmente os responsáveis por ela ao invés de ficar fazendo pose para as fotos.

O resultado está aí. Moradores da região não sabem se suas casas vão desabar pela enorme infiltração de água oriunda do túnel.

Não bastassem as questões técnicas de engenharia, a situação é um enorme desrespeito com esta tradicional família da Ponte São João, Léta/Oswaldo Bárbaro, homenageada com a obra.

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

A DOCE POLÍTICA ! ! !

Mais um diretor da prefeitura de Jundiaí está envolvido com questões de improbidade administrativa. Há algum tempo mostramos aqui os problemas judiciais envolvendo o ex-diretor de cultura, Eufraudísio Modesto Filho, mas parece que os fatos se proliferam.

O diretor responsável por toda a iluminação pública da Secretaria de Serviços Públicos de nossa prefeitura, Marcelo de Oliveira Cardoso, foi condenado em 1ª instância na comarca de Porto Feliz por improbidade administrativa, processo este que está em grau de recurso e enviado ao Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

O motivo desta Ação Civil Pública foi que, na condição de funcionário público municipal, atuou como sócio oculto e efetivo administrador da empresa Advanced Serviços Especializados de Terceirização Ltda. , participando de licitações e executando vários serviços licitados pela Prefeitura Municipal de Porto Feliz, o que é ilegal.

Confiram abaixo alguns trechos do processo:

"...Pedido Liminar, proposto pelo Ministério Público desta Comarca contra MARCELO DE OLIVEIRA CARDOSO, o qual, na condição de funcionário público municipal, atuou como sócio oculto e efetivo administrador de empresa privada, participando de licitações e executando serviços licitados pela Prefeitura Municipal de Porto Feliz-SP, violando o disposto no artigo 37, caput, da Constituição Federal, bem como o artigo 111, inciso X, do Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Porto Feliz, e ainda, o artigo 9º da Lei Federal nº 8.666/93 (Lei das Licitações)..."

"...Diante do exposto e considerando o mais que dos autos consta, JULGO PROCEDENTE a pretensão inicial em face de MARCELO DE OLIVEIRA CARDOSO, a fim de condená-lo prática de ato de improbidade administrativa constante do artigo 11, caput, na forma do artigo 12, inciso III, ambos da Lei nº 8.429/92, impondo-lhe: I) a perda da função pública; II) a suspensão dos direitos políticos por três anos; III) o pagamento de multa civil de cinco vezes o valor da remuneração percebida pelo agente, a ser apurado em liquidação de sentença também por artigos e IV) a proibição de contratar com o Poder Público, bem como a empresa Advanced Serviços Especializados de Terceirização Ltda ME, a qual gerenciava, ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de três anos..."

Para consultarem o processo, na íntegra, acessem o link abaixo:

http://esaj.tjsp.jus.br/cpo/pg/show.do?localPesquisa.cdLocal=471&processo.codigo=D3Z0C00AX0000&processo.foro=471

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

A FESTA CONTINUA ! ! !

A mistura entre o público e o privado acontece há muito tempo em Jundiaí. O exemplo disso é o relacionamento bastante íntimo entre a nossa prefeitura e a construtora Santa Ângela. Agora, além desta proximidade, existe a possibilidade de o dono desta empreiteira ser candidato a alguma coisa em 2016 unindo o útil ao agradável.

Como nos 20 anos de governos do PSDB, a especulação imobiliária deita e rola na cidade com a atual gestão.

Vamos aos fatos. Estão anunciando a construção de um novo parque no bairro do engordadouro, em um terreno doado pelo executivo, dizendo ser uma contra partida da construtora para com a prefeitura.

É obvio que o tal parque tem como objetivo valorizar os condomínios da empreiteira na região denominados de Scalla I e Scalla II, tudo com o beneplácito da secretaria de planejamento da prefeitura.

No passado também foi assim, ou seja, a prefeitura sendo utilizada para favorecer a empresa de propriedade de familiares do ex-prefeito André Benassi. Confiram nas fotos abaixo:

Nos tempos idos do PSDB a prefeitura e a construtora Santa Ângela chegaram ao cúmulo de aparecerem juntas em outdoors.


Máquinas da prefeitura de Jundiaí trabalhando em benfeitorias ao redor de empreendimentos da construtora Santa Ângela.


No atual governo a FUMAS assinou contrato com a construtora Santa Ângela para a construção de habitações populares.