segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

A ÁGUA ABANDONADA ! ! !

Este blog vai continuar denunciando toda a mentira que envolve esta questão da água em nossa cidade. Não é possível que esse bem tão fundamental para a vida humana continue sendo tratado com essa tamanha irresponsabilidade. E o pior: Com o iminente racionamento de água preferem o discurso fácil colocando a culpa do caos que se aproxima na falta de chuva e em São Pedro. Em primeiro lugar, a nível estadual, o governador Geraldo Alckmin é o grande responsável pelo desastre do Sistema Cantareira pois a obras necessárias para que esta situação fosse evitada não foram feitas. Já no âmbito do município a negligência pública sobre esse assunto é a mesma.

Há quase 30 anos o eng° Ruy Chaves elaborou um projeto técnico para que fossem construídas em Jundiaí 4 represas de água para que a população tivesse, no futuro, uma agradável tranquilidade hídrica. Nestes 30 anos apenas 1 represa foi concluída, o que constitui-se um desleixo imperdoável dos prefeitos que se sucederam. Mas não foi por falta de dinheiro que este descaso foi efetivado. Por exemplo: Em seu último mandato, o ex-prefeito Miguel Haddad, de uma maneira profundamente lamentável, gastou R$ 50 milhões na reforma da Av. 9 de Julho e mais R$ 33 milhões com o publicitário Duda Mendonça para fazer propaganda política de seu governo. Já o atual prefeito, o eng° Pedro Bigardi, vai gastar R$ 125 milhões na 1ª fase da construção do BRT e mais R$ 400 milhões na 2ª fase. Isso mesmo. Serão R$ 525 milhões destinados ao BRT, um projeto caro e de utilidade altamente duvidosa diante da realidade do transporte coletivo da cidade.

Somando-se toda esta fortuna que Miguel Haddad e Pedro Bigardi jogarão pela janela, o valor total seria mais do que suficiente para que fossem construídas as 3 represas que faltam para o complemento do projeto do saudoso eng° Ruy Chaves. Enquanto estes milhões são queimados, o ex-prefeito Miguel Haddad desfruta de seu patrimônio acumulado em todos estes anos de agitada vida pública, patrimônio este de R$ 11.383.318,30 segundo declarou à Justiça Eleitoral. Já no que lhe diz respeito, o prefeito Pedro Bigardi aproveita todos os seus momentos inesquecíveis e agradáveis respirando o ar puro do bairro da Malota, para onde se mudou no final de 2012. Assim sendo, caros amigos, quando o racionamento de água chegar, quando nós abrirmos as torneiras de nossas casas e não sair nada, vamos nos lembrar de Miguel Haddad e Pedro Bigardi, protagonistas desta cinzenta política sobre a água e que a população de Jundiaí jamais poderá esquecer.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

CIDADE LARGADA ! ! !

Dia desses um amigo nosso recebeu um panfleto sobre um luxuoso loteamento fechado no bairro de Corrupira chamado Reserva da Mata. Ele telefonou no número indicado e atendeu uma funcionária do Multi Moda Center. Como no folheto não havia indicação nenhuma sobre a construtora a atendente foi indagada sobre isso e respondeu que o empreendimento era " dos Haddad ". Diante dessa "enorme surpresa" consultamos o site do TRE-SP a respeito do patrimônio do ex-prefeito Miguel Haddad onde constatamos que ele é sócio de várias empresas ligadas à especulação imobiliária. Senão vejamos:

- Cotas de capital na empresa ROMA URBANIZAÇÃO LOTEAMENTOS Ltda.

- Cotas de capital na empresa PLANEGRAM CONSTRUÇÃO E PLANEJAMENTO Ltda.

- Cotas de capital na empresa EPUR- EMPRESA PAULISTA DE URBANIZAÇÃO

- Cotas de capital na empresa G.HADDAD EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS Ltda.

- Cotas de capital na empresa ÁREA URBANIZAÇÃO E LOTEAMENTOS Ltda.


Trocando em miúdos: Da mesma forma que familiares do ex-prefeito André Benassi possuem a construtora Santa Ângela, o ex-prefeito Miguel Haddad está envolvido de corpo e alma na famosa especulação imobiliária em Jundiaí. Além disso, em reunião recente, os principais especuladores imobiliários de Jundiaí definiram uma estratégia que só poderia vingar em uma cidade sem governo, como se a devastação ambiental que eles promoveram pudesse ser recuperada. Eis agora a iluminada posição: " Vamos fomentar condições para que o agricultor fique na terra, produzindo, ao mesmo tempo em que as construtoras vão devolver para o meio ambiente o impacto por elas causado ". E não ficaram nem vermelhos. Muito menos vermelho ficou o governo municipal que vai dar apoio a essa desfaçatez. Ou seja: Eles podem devastar o que quiserem desde que plantem algumas mudas nas margens dos rios. Isso é uma vergonha. Um escândalo. Uma lástima. As construtoras em questão, a CBM, FA Oliva, Santa Ângela e SCO Tebas, e a prefeitura deveriam, sim, cancelar todos os projetos já aprovados e que causarão danos incalculáveis a uma cidade que está às portas de um racionamento de água. Mas aí é querer demais.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

RECORDAR É VIVER ! ! !

JORNAL NOTÍCIAS POPULARES - ANO 2.000

**** CLIQUE SOBRE AS IMAGENS PARA AUMENTAR DE TAMANHO ****



terça-feira, 13 de janeiro de 2015

SEM VERGONHA ! ! !

Tribunal de Contas do Estado de São Paulo

Contratante: Prefeitura Municipal de Jundiaí

Contratada: SANEPAV – Saneamento Ambiental Ltda.

Autoridade que Dispensou a Licitação: José Airton da Silva Vitorian Júnior (Assessor Especial)

Autoridade que Ratificou a Dispensa de Licitação e que firmou o Instrumento: Aguinaldo Leite (Secretário Municipal de Serviços Públicos)

Valor - R$ 9.138.420,00

"...No caso em exame entendo que as justificativas apresentadas pela Origem, não foram capazes de demonstrar a existência de situação emergencial ou a ocorrência de fato imprevisível que justificasse a contratação nos moldes realizados..."

"...Considerando que a contratação era fato previsível, deveria a Municipalidade ter adotado providências necessárias para realizar regular licitação e o decorrente contrato, o que não ocorreu no presente caso, em verdade, delineou-se numa situação produzida pela própria Administração Municipal, que deveria ter adotado as medidas necessárias em tempo hábil e não o fez, ensejando na realização da contratação direta, configurando, no meu entender em omissão em adotar as medidas necessárias ao estrito cumprimento das prescrições legais..."

"...Diante de todo o exposto, considerando o conjunto de elementos dos autos, acolho as manifestações desfavoráveis de Assessoria Técnica, sua Chefia, VOTO IRREGULARIDADE pela Dispensa de Licitação, do Contrato e do Termo Aditivo..."


Da mesma forma que os governos do PSDB mantiveram um contrato com a TEJOFRAN durante anos a fio em caráter emergencial e "sem concorrência pública", agora a gestão do PCdoB/PT faz a mesma coisa com a SANEPAV. Será que perderam a vergonha na cara de vez ? Será que a prefeitura é a Casa da Irene onde os políticos fazem o que eles querem jogando a lei na lata do lixo ? Será que os vereadores vão continuar mudos e calados em troca dos deliciosos benefícios políticos que receberam até agora ? Enquanto toda esta esbórnia acontece o prefeito Pedro Bigardi se prepara para o carnaval, afinal de contas o que ele quer é rosetar durante as festas de Momo. Para lerem toda a sentença do TCE-SP acessem o link abaixo e rasguem a fantasia:

http://www2.tce.sp.gov.br/arqs_juri/pdf/441576.pdf

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

LICITAÇÃO ANULADA ! ! !

Há algum tempo em nome do PCB - Partido Comunista Brasileiro e em razão de inúmeras irregularidades constatadas, protocolamos uma representação junto ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo solicitando a suspensão e o posterior cancelamento da concorrência pública que terceirizava toda a frota de veículos da prefeitura. Em decisão tomada na sessão plenária ordinária de 10/12/2014 o TCE-SP determinou a anulação do referido certame dando guarida às nossas argumentações colocadas na petição. Seguem abaixo alguns detalhes dos elementos constantes na sentença do egrégio Tribunal de Contas do Estado de São Paulo que cancelou a concorrência em questão:

"...Submeter tal ordem de gastos públicos ao sistema de registro de preços, sem qualquer planejamento e tampouco transparência, é uma grave afronta ao § 1º do art. 1º da Lei de Responsabilidade Fiscal: “A responsabilidade na gestão fiscal pressupõe a ação planejada e transparente, em que se previnem riscos e corrigem desvios capazes de afetar o equilíbrio das contas públicas”..."

"...E veja que se trata de locação de aproximadamente 43 (quarenta e três) caminhões e 417 (quatrocentos e dezessete) veículos das mais variadas espécies, dentre os quais figuram ambulâncias e também veículos policiais e motos de patrulhamento para a Guarda Municipal, evidenciando-se que a locação atenderá serviços públicos essenciais que não podem sofrer solução de continuidade, o que reforça a incompatibilidade deste objeto com o sistema do registro de preços..."

"...De qualquer forma, tanto a Unidade Econômica da Assessoria Técnica como a Chefia da Assessoria Técnica manifestaram-se de maneira unânime pela incompatibilidade do presente objeto com o sistema do registro de preços, razão pela qual propuseram a anulação do procedimento licitatório..."

"...O Ministério Público de Contas manifestou-se também pela anulação do certame, em razão da inadequação do sistema de registro de preço para a contratação do objeto em comento..."

"...Ante o exposto...determinando-se à Prefeitura Municipal de Jundiaí que:

- Realize uma profunda reformulação do ato convocatório, para que não mais seja utilizado o sistema do registro de preços para o presente objeto, ou então, alternativamente, proceda à anulação deste ato convocatório e instaure novo procedimento licitatório onde seja objetivado o regime ordinário de contratação..."


Para lerem a sentença do TCE-SP, na íntegra, acessem o link abaixo:

http://www2.tce.sp.gov.br/arqs_juri/pdf/439794.pdf